A VIDA: SOFRIMENTO, CRUELDADE E DOR

O SOFRIMENTO PRESENTE NA VIDA - TRADIÇÕES ANTIGAS

A filosofia oriental acentua abundantemente o elemento cruel da vida. Para taoistas, budistas ou para o jainismo hindu, a vida é sofrimento. Um pouco na mesma linha, a bíblia e certas tradições cristãs sublinham também a dor presente na vida.

Viver é sofrer. 
Pali Tripitaka, colecção budista de textos sagrados, Vinaya

A Nobre Verdade do Sofrimento é esta: nascer é sofrer, envelhecer é sofrer, adoecer é sofrer, a morte é sofrer; pesares e lamentações, dor, preocupação e desespero são sofrimento; associação ao desagradável é sofrimento, dissociação do prazer é sofrimento; não se ter o que se quer é sofrimento…
Pali Tripitaka, colecção budista de textos sagrados, Sutta-Nipata

Como todos, ao nascer, respirei o ar comum. Como todos, caí numa Terra de sofrimento. Como todos, a primeira coisa que fiz foi chorar.
Bíblia, Eclesiastes

Atirar-te-ão pedras e elas ferir-te-ão. A vida não é um negócio fácil. É um longo caminho em que estás mergulhado: e não podes evitar os passos em falso, os golpes e quedas, e de sentires cansaço e de abertamente desejares – mentindo a ti mesmo – a morte.
Séneca,  4 a.C.-65 d. C., filósofo romano, Epístolas a Lucílio 

Num lugar dirás adeus ao teu companheiro, a seguir enterrarás outro, e todas as vezes terás medo. Este é o tipo de coisas com que te defrontarás ao longo de toda a difícil caminhada que é a vida.
Séneca,  4 a.C.-65 d. C., filósofo romano, Epístolas a Lucílio 

A NATUREZA É CRUEL

Não podemos escapar ao mal e à crueldade do mundo, proclamam múltiplas reflexões sobre a vida. A crueldade está também no homem, que incorpora em si a crueldade da vida e a inevitabilidade de matar ou ser morto.

Mãe que fazes tremer e chorar desde o nascimento a família dos seres animais; Natureza, monstro indigno de louvor, que crias e alimentas para matar, diz-me: se a morte prematura de um mortal é um mal, por que a infliges aos inocentes? 
G. Leopardi, 1798-1837, escritor italiano, Poésis, Le Coucher de la Lune

A realidade é cruel para o ser humano, lançado sobre a Terra, ignorando o seu destino, submetido à morte, não podendo escapar aos lutos fatais, às vicissitudes da sorte, ao sofrimento, servidões e maldades.
E. Morin, sociólogo e filósofo francês, Método V

A realidade reveste-se de características horríveis. O ser humano está entregue à crueldade do mundo.
E. Morin, sociólogo e filósofo francês, Método V

A crueldade entre homens, indivíduos, grupos, etnias, religiões, raças, é aterradora. O ser humano contém em si um ruído de monstros que liberta em todas as ocasiões favoráveis.  
E. Morin, sociólogo e filósofo francês, Os meus demónios

COMO COMBATER A CRUELDADE DA VIDA?

A fé, a arte, a recusa do materialismo e as nossas atitudes mentais, são formas de suportar e ultrapassar a crueldade do mundo e de se ser feliz.

O ser humano está entregue à crueldade do mundo. Daí a necessidade de um compromisso, que se obtém mobilizando o mito para encontrar os confortos sobrenaturais, mobilizando o imaginário para nele abrigar a alma e mobilizando a estética e a poesia para viver plenamente a realidade.
E. Morin, sociólogo e filósofo francês, Método V

A fé religiosa, tal como a fé numa ideia, é uma força profunda que ajuda a suportar e a combater a crueldade do mundo.
E. Morin, sociólogo e filósofo francês, Método V

Aqueles que fruem a ocasião e o momento e vivem de acordo com o curso da natureza, não são afectados pela tristeza ou pela alegria. É o que os antigos chamam libertação da sujeição. 
Tchuang-Tseu, filósofo chinês ligado ao taoísmo, século III ou II a. C., Book of Tchuang-Tseu  

Os que estão ligados às coisas materiais não podem libertar-se a si próprios.
Tchuang-Tseu, filósofo chinês ligado ao taoísmo, século III ou II a. C., Book of Tchuang-Tseu  

Todo o homem que pensa que é insuficiente o que tem, é um homem infeliz ainda que seja o dono do mundo inteiro.
Epicuro, 341-270 a.C., filósofo grego, citado por Séneca em Epístolas a Lucílio.

As perturbações derivam de opiniões e juízos insensatos
Cícero, 106-43 a. C., filósofo e político romano, De Finibus bonorum et malorum

É feliz o sábio que com moderação e firmeza está tranquilo e em harmonia consigo mesmo, não se consumindo com os males, futilidades e entusiasmos, nem se enervando por medo, nem ardendo de desejos e de cobiça.
Cícero, 106-43 a. C., filósofo e político romano, Tusculan disputation

Ver Comentário/Ensaio 
Vida, Dor e Sofrimento

 

 

 

Topo